AllatRa Pattern Tape
Logo Creative Society SOCIEDADE
CRIATIVA

A Necessidade de Construir A SOCIEDADE CRIATIVA. Porque é que as tentativas anteriores falharam

12 de agosto de 2020

A Necessidade de Construir a Sociedade Criativa



A batalha das ideologias

Qualquer que seja a época dos últimos milênios de existência da nossa civilização que tomemos, não encontraremos um tempo em que a humanidade não estivesse em busca de um sistema que a levasse ao estágio mais elevado da evolução humana. Nos últimos séculos, os sistemas seguiram-se por tentativa e erro: feudalismo, capitalismo, socialismo, comunismo e assim por diante. Além disso, a princípio, a ideologia de cada novo sistema inspirava fé na conquista de desejos elevados, dando voz aos prometidos desejos das pessoas para uma vida melhor, trazendo novidade e um lampejo de esperança, contrastando de forma marcante com a ideologia anterior desatualizada.

Em seguida, mais uma “nova ideologia”, assim como a anterior, voltou a mostrar as suas limitações na prática, bem como a sua incapacidade de atender às expectativas mesmo de uma pequena parte da sociedade, para não falar de cada um de seus representantes. Cada colapso seguinte de expectativas e esperanças foi cada vez mais doloroso de suportar para as massas. Assim, a cada vez, essa decepção formava na memória das pessoas uma lembrança dos fracassos e uma falsa opinião de que é impossível construir a sociedade dos seus sonhos.

Como resultado, isto conduziu a uma situação em que hoje, um cidadão comum já não acredita em “uma vida feliz com estabilidade e prosperidade”, não acredita em mais nem um slogan sobre independência e igualdade. Tudo o que ele sabe são mentiras, engano e outras manipulações de políticos. Muitos não acreditam nas promessas de progresso econômico e técnico, observando na vida real um enorme fosso entre ricos e pobres, e percebendo que esse progresso afetará apenas uma pequena parte da população, enquanto para outras as melhorias só aparecerão no papel. Apesar de todas as evidências empíricas e da experiência de fracassos adquirida ao longo dos séculos, a humanidade ainda anseia por uma mudança para melhor, mas, ao mesmo tempo, não vê uma saída para esta crise. Porque é que isso aconteceu?

Hoje, entramos na fase crítica da sociedade moderna. Como superar isso?

Vamos examinar as razões, em primeiro lugar.


Porque é que isso aconteceu?

A desconfiança das massas sobre os seus líderes, que prometem um futuro melhor, junto com a completa inação fatal desses líderes, existirá até que as pessoas obtenham as respostas para um acúmulo de perguntas.

  • Porque é que as velhas ideologias, apesar de seu início promissor, desapareceram na história, como uma experiência fracassada?
  • Porque é que, apesar de todas as leis sobre direitos humanos e liberdades escritas nas constituições da maioria dos Estados, na prática, vemos o oposto hoje?

PODER. Apesar de uma enorme variedade de formas propostas de existência da sociedade e da defesa da LIBERDADE e JUSTIÇA, você notará que, na prática, uma e a mesma coisa foi persistentemente preservada em todos os lugares: a hierarquia de poder que é expressa como o poder dos indivíduos sobre a sociedade! Ou seja, de fato, o sistema escravista estava sendo preservado; a ferramenta ideológica da sua gestão estava sendo apenas aperfeiçoada. A máscara foi mudando, mas não houve mudança de conteúdo!

FORMATO DO CONSUMIDOR. Outro ponto importante que tem inerentemente negado a construção de uma sociedade livre, apesar do uso de seus slogans, é o formato consumista das relações humanas que dominou nos últimos 6.000 anos. Este formato concentra a atenção das massas no egoísmo, orgulho, o desejo de consumo infinito e posse de algo e, o mais importante, uma sede insaciável de poder! O insaciável instinto animal é ativado, criando condições patogênicas no desenvolvimento do indivíduo. E isso, por sua vez, cria condições patogênicas para o desenvolvimento da sociedade como um todo. Enquanto cada pessoa almeja consumir de forma insaciável, sua existência ficará reduzida aos padrões impostos pelo formato consumista. O significado da vida de tal pessoa, fixado na matéria, é muitas vezes a busca de poder, reconhecimento e aumento ilimitado de capital.

A propósito, a palavra “capital” é derivada da palavra latina “caput”, que significa “cabeça”. As raízes desse conceito remontam à época em que o gado era considerado uma unidade monetária e era contado por cabeças, ou seja, o número de animais. Enquanto no sistema escravista, as massas de pessoas pobres (escravos) não eram consideradas como pessoas, eram compradas e vendidas como gado. Mas a introdução de tal atitude de um ser humano em relação a outro ser humano na sociedade não é um crime contra a humanidade?

Essa busca de poder imaginário e insaciabilidade material não é uma consequência da dominação das necessidades inferiores num ser humano? O resultado é competição, disputas, brigas, rivalidade, contenda, sistema de classes, hierarquia de poder, uma lacuna entre pobres e ricos e, em última instância — guerras híbridas e guerras mundiais. Como resultado, o formato consumista não é suicida para toda a humanidade? Guerras que se iniciam na consciência humana, orientadas para o formato consumista, levam ao medo, à agressão e à morte. Não é verdade que o formato destrutivo, opressor na cabeça das pessoas, consumista com seu desejo insaciável de poder, guerras, problemas perenes de sobrevivência animal, sede de posse e o sonho brilhante de cada pessoa sobre uma vida pacífica, feliz e segura — são mutuamente exclusivos por padrão?



Sociedade Criativa



A humanidade precisa de uma alternativa:

A SOCIEDADE CRIATIVA

  • O que ajudará uma pessoa moderna a recuperar não apenas a fé em um futuro melhor, mas a confiança absoluta de que é realista; compreender como construí-la e compreender a necessidade de participação ativa de todos no processo de construção dessa sociedade?
  • Como podemos construir uma Sociedade Criativa onde todos os benefícios e recursos pertencerão a um Humano e não às superestruturas amorfas que o dominam?

Nos tempos modernos, na era das tecnologias de informática e da comunicação móvel com pessoas que vivem em diferentes continentes, é mais possível do que nunca construir um formato criativo de desenvolvimento da sociedade. Isso implica construir um novo formato de relações públicas voltadas para o cultivo das melhores qualidades humanas, para o desenvolvimento de um ser humano criativo, para a unificação das pessoas com base nos valores espirituais e morais, para a promoção do bem, da paz, da humanidade, honestidade, apoio mútuo, respeito e amor um pelo outro. Não é isso que todo cidadão sensato do nosso planeta está sonhando?

Observe que a ênfase aqui é completamente diferente daquela da sociedade consumista. A Sociedade Criativa visa a ativação de tudo de positivo e bom em um ser humano como uma unidade, apoiando as suas boas intenções; visa à manifestação das suas melhores qualidades e habilidades para o seu desenvolvimento espiritual e moral e para o benefício de toda a sociedade e, como resultado, o mesmo acontecerá fractalmente em toda a sociedade. Afinal, somente formando uma personalidade saudável podemos formar uma sociedade saudável. Em condições de economia mundial planejada estável e disponibilidade de todos os benefícios para cada pessoa, o desejo de competição e acumulação de excedentes desaparecerá.

O desenvolvimento da economia e de outros setores estará voltado para o atendimento das necessidades de cada pessoa, e não do sistema geral como é agora, onde os valores morais e éticos de uma pessoa estão invalidados. A total transparência e abertura de informações é um estado natural das coisas numa Sociedade Criativa. Nesse sentido, o formato criativo do desenvolvimento da sociedade, por meio da evolução inevitável em tais condições, serve precisamente como esse estágio de transição para a construção de uma Sociedade Ideal que sempre se aspirou; é essa mesma ponte de ligação, que se apoia em oito pilares — os 8 Fundamentos de uma Sociedade Criativa.





Muitas pessoas podem ter perguntas, como: “E o poder em uma Sociedade Criativa? Afinal, é essencial para estabelecer relações, ou para ordenar a produção social. A sua ausência não levará à anarquia?” e assim por diante. É aí que voltamos ao conceito de responsabilidade. Afinal, quando uma pessoa assume o poder, ela fica sobrecarregada com responsabilidades, objetivos e tarefas, que é obrigada a cumprir para as pessoas. Porém, como é que isso se parece na prática, no sistema consumista moderno? Todos podem constatar que ao ingressar em círculos de poder e condições semelhantes a eles, muda a mentalidade de tal pessoa e, lamentavelmente, de forma desfavorável para o eleitorado. Portanto, para mudar a situação, é necessário mudar as condições.

Porém, se olharmos do outro lado — criativo: em tal situação, as pessoas, se quiserem fazer algo de bom para os outros e melhorar ainda mais a vida de todos, assumirão RESPONSABILIDADE para com todas as pessoas, comprometendo-se a ser responsáveis para com a sociedade pelas suas palavras, ações e todo o resultado das suas atividades nas posições que ocupam. Enquanto isso, as próprias pessoas definirão as tarefas e controlarão a qualidade da sua implementação. Essa definição muda fundamentalmente a própria essência.





A responsabilidade impede a imposição da vontade de alguns indivíduos na sociedade. Serve como uma ferramenta da sociedade para atender às suas necessidades. O sistema criativo cria condições para o benefício exatamente de um ser humano — de todo ser humano, e não para a palavra amorfa “estado”, certas organizações e semelhantes. Afinal, é o Ser Humano o principal componente de tudo. Sem um Humano, não haverá nada.

Quanto ao desenvolvimento evolutivo da humanidade, hoje depende diretamente da escolha de cada Humano, em reformatar sua consciência desde o consumo até a criação, e se unir aos outros dessa forma. Mas essas mudanças também dependem e serão possíveis quando a própria sociedade criar um ambiente positivo para o crescimento espiritual e moral de um ser humano. Esses aspectos estão intimamente relacionados, complementares e se aceleram diretamente entre si e em todo o processo de evolução no caminho da humanidade em direção a uma Sociedade Ideal. A fórmula é muito simples: um ser humano cria para a sociedade, a sociedade cria para um ser humano e um ser humano e seus benefícios vêm em primeiro lugar. A este respeito, a participação de todos é incomensuravelmente importante na causa comum que visa a melhoria de vida de toda a sociedade e de cada indivíduo.

Mas que tipo de participação humana é possível na situação atual? Hoje, muitas pessoas ainda não veem uma saída no fluxo de informações do entorno com foco no formato consumista. E justamente para que a maioria das pessoas encontre o entendimento do caminho certo e se consolide, é preciso informar a sociedade, informar as pessoas, criar e divulgar conteúdos positivos, e com isso preencher o espaço da informação. É importante atuar na criação, encontrando as pessoas no meio do caminho, e ao mesmo tempo se tornar um exemplo de um verdadeiro Humano que é digno de tal sociedade e na prática mostra que é absolutamente possível alcançá-la. Por meio de modernas capacidades técnicas e diversas formas de veicular informações, todos os que desejam já podem se tornar participantes da construção de uma Sociedade Criativa.

O principal é perceber que você não está sozinho! O movimento nessa direção já está acontecendo no mundo todo! A Sociedade Criativa construída com a sua participação é o melhor legado para seus descendentes. Tudo que você precisa fazer agora é começar a se mover nessa direção, e este será um passo significativo para o progresso de toda a sociedade. Juntos podemos fazer muito! O futuro está surgindo agora.


Feito por: Jonh Asher

Faça um comentário